logo spark2d

Disruption Blog

Tag: UX

Smart Cities, Internet of Things e… Frank Sinatra

Não podemos assumir que toda a gente que lê este artigo sabe o que significa Internet of Things e Smart Cities, porque aquilo que é óbvio para uns, pode não ser para outros, pelo que vamos apresentar estes dois conceitos, embora de forma ligeira. Internet of Things De acordo com a wikipedia, a Internet das Coisas (Internet of Things ou IoT) é a “interligação de dispositivos físicos, edifícios, softwares, sensores, atuadores e outras coisas eletrónicas, bem como a conectividade que permite que estes objetos colecionem e troquem dados”. Pela descrição, percebemos a natureza predominantemente tecnológica da Internet of Things. Quando o conceito apareceu, a sua aplicabilidade era maioritariamente para otimizar operações, com máquinas autónomas e relativamente inteligentes. Smart Cities Já…

Continuar a ler

Press Release: SPARK2D e Tangível associam-se para endereçar Transformação Digital e User Experience

A SPARK2D Digital Disruption, consultora portuguesa de transformação digital, adquiriu uma participação significativa do capital da Tangível, Usabilidade e Design de Interação. As duas empresas endereçarão agora o mercado em conjunto. Esta associação cria um grupo forte dedicado à consultoria em Transformação Digital que fornece serviços de excelência em User Experience (UX) Design. Com escritórios em Lisboa e Coimbra, o novo grupo conta já com clientes de referência nos setores financeiro, telecomunicações, saúde e administração pública. “A procura de serviços em UX tem crescido exponencialmente em Portugal nos últimos anos. Para uma fatia importante do mercado (as empresas maduras digitalmente), a experiência de utilização de produtos e serviços é hoje um fator crítico de sucesso e um dos principais diferenciadores face à concorrência” – afirma José Campos, fundador e Co-CEO da Tangível….

Continuar a ler

Estratégias Digitais para Encher as Lojas Físicas

Já é neste momento consensual que o comércio eletrónico não veio matar o comércio tradicional. Ao invés, os consumidores passaram a ter opções múltiplas de compra, em diferentes canais, e esperam que as lojas estejam sempre disponíveis (always on commerce). Estamos portanto numa época de retalho omnicanal, em que se privilegiam experiências uniformes (seamless experiences) entre o comércio físico (em loja) e o eletrónico (no website ou no smartphone). As marcas devem estudar o comportamento dos vários clientes-tipo em termos da complementaridade que estes encontram entre as versões física e eletrónica da loja (customer journeys). Por exemplo, há o cliente que consulta diversos sites online e vai a uma loja experimentar/provar o produto que escolheu, comprando no final. Mas há…

Continuar a ler