logo spark2d

Disruption Blog

Category: Marketing Digital (page 1 of 4)

O marketing mudou e continua a mudar, provavelmente mais nos últimos 5 anos do que nas últimas 5 décadas. A tecnologia tem sido uma das principais causas da transformação no marketing para marketing digital.

Surgiu até o conceito de MarTech, que é a combinação de marketing e tecnologia. Em particular, é o conjunto de iniciativas e ferramentas que tiram partido da tecnologia para atingir objetivos de marketing. Atualmente, a fronteira entre o marketing considerado tradicional e o marketing digital é tão ténue que dizemos apenas “marketing”, incluindo sempre e naturalmente a componente digital.

O foco no cliente é essencial para o sucesso de uma empresa, que terá grandes vantagens se pedir feedback regularmente aos seus clientes (customer feedback), se estiver atenta ao que dizem sobre si ou a sua marca (social listening) e até se pedir ajuda para melhorar os seus produtos e serviços (customer innovation).

Muitas vezes, as empresas e marcas têm uma presença nas redes sociais exclusivamente focada na comunicação, com o objetivo de aumentar a notoriedade da marca e interagir com públicos cada vez mais digitais. Esta vertente é certamente importante, mas é possível ir bem mais longe: as redes sociais podem ser verdadeiramente estratégicas, no sentido em que podem cumprir outras funções de negócio como geração de leads comerciais, geração direta de vendas, suporte ao cliente ou fonte de inovação da oferta (usando os inputs da audiência).

Social listening é o processo de acompanhar conversas na internet em torno de palavras, frases ou marcas (não só nas redes sociais, mas por toda a web) e aproveitar essa informação para descobrir oportunidades, resolver problemas, responder a questões de clientes e potenciais clientes, entre outros.

Também em B2B estas plataformas têm várias vantagens para as empresas que as usam com objetivos claros de negócio.

Ainda não usa as redes sociais no seu processo de venda?

Social selling é a utilização das redes sociais para identificar, conhecer, interagir e acompanhar potenciais clientes no seu processo de decisão até à compra dos nossos produtos ou serviços (conversão/venda). Quando falamos em social selling não estamos a falar sobre vender produtos no Facebook, nem sobre a atividade de gerir redes sociais (i.e., a publicação de conteúdos numa página e a comunicação com uma audiência geral). Social selling aplica-se nos casos em que o processo de venda é one-to-one, ou seja, em que o comercial de uma empresa tem que identificar uma pessoa que será o seu potencial cliente (prospect), abordá-la e estabelecer uma relação com o objetivo de a tornar sua cliente. Este tipo de processo é muito característico…

Continuar a ler

Diz-me o que partilhas, dir-te-ei quem és

Mais de 80% das pessoas na Europa, com idades compreendidas entre 16 e 74, acedem à internet em diferentes equipamentos (fonte: Eurostat, 2016) e, em Portugal, o acesso às redes sociais aumentou, entre 2008 e 2017, de 17,1% para 59,1% (fonte: Marktest, 2017). 57,2% dos utilizadores das redes sociais em Portugal referem ter aderido pelas suas funcionalidades de comunicação, como enviar e receber mensagens. Mas atualmente os utilizadores usam outras funcionalidades, para além de apenas manter contacto, como ver vídeos, ver notícias ou consultar opiniões (fonte: Marktest, 2017). Controlam  que marcas querem seguir, reduzindo assim a exposição à publicidade. As redes sociais e a internet, de uma forma geral, alteraram a forma como os consumidores lidam com a publicidade: controlam…

Continuar a ler

Links, meu caro crawler

O website é um dos elementos mais importantes da presença digital de uma empresa e uma ferramenta de negócio que deve ser constantemente otimizada e monitorizada. No que diz respeito às pesquisas, nem todos conseguem aparecer na primeira página. SEO (search engine optimization – otimização para os motores de pesquisa) é a tarefa de aperfeiçoar as páginas de um website, para que os motores de pesquisa as considerem relevantes, tem em conta vários fatores para melhorar a posição nos resultados de pesquisa orgânica. A Moz, empresa de consultoria em SEO, alega basear-se no algoritmo do Google para fornecer informação do que é relevante para que uma página esteja otimizada. De 2 em 2 anos, realiza uma pesquisa com os melhores…

Continuar a ler

Dark social: o tráfego “disfarçado” que inunda o seu site

O que é dark social? Quando está a analisar os indicadores de tráfego do seu site, na sua plataforma de web analytics preferida, certamente já se apercebeu da grande percentagem de tráfego considerada “direct”. Teoricamente, essa componente representa os utilizadores que chegam ao seu site escrevendo diretamente no seu browser o endereço de uma das páginas. No entanto, se tiver um blog, um site de e-commerce ou simplesmente páginas com endereços longos ou números, é difícil acreditar que os utilizadores escreveram esse endereço “à mão” no seu browser. Dark social refere-se ao tráfego cuja origem não é detetada pelas ferramentas de web analytics e, por isso, é classificado como “direct”. Esse tráfego é, na verdade, gerado pelas partilhas entre utilizadores…

Continuar a ler

Older posts