logo spark2d

Disruption Blog

Category: Marketing Digital (page 1 of 3)

O marketing mudou e continua a mudar, provavelmente mais nos últimos 5 anos do que nas últimas 5 décadas. A tecnologia tem sido uma das principais causas da transformação no marketing para marketing digital.

Surgiu até o conceito de MarTech, que é a combinação de marketing e tecnologia. Em particular, é o conjunto de iniciativas e ferramentas que tiram partido da tecnologia para atingir objetivos de marketing. Atualmente, a fronteira entre o marketing considerado tradicional e o marketing digital é tão ténue que dizemos apenas “marketing”, incluindo sempre e naturalmente a componente digital.

O foco no cliente é essencial para o sucesso de uma empresa, que terá grandes vantagens se pedir feedback regularmente aos seus clientes (customer feedback), se estiver atenta ao que dizem sobre si ou a sua marca (social listening) e até se pedir ajuda para melhorar os seus produtos e serviços (customer innovation).

Muitas vezes, as empresas e marcas têm uma presença nas redes sociais exclusivamente focada na comunicação, com o objetivo de aumentar a notoriedade da marca e interagir com públicos cada vez mais digitais. Esta vertente é certamente importante, mas é possível ir bem mais longe: as redes sociais podem ser verdadeiramente estratégicas, no sentido em que podem cumprir outras funções de negócio como geração de leads comerciais, geração direta de vendas, suporte ao cliente ou fonte de inovação da oferta (usando os inputs da audiência).

Social listening é o processo de acompanhar conversas na internet em torno de palavras, frases ou marcas (não só nas redes sociais, mas por toda a web) e aproveitar essa informação para descobrir oportunidades, resolver problemas, responder a questões de clientes e potenciais clientes, entre outros.

Também em B2B estas plataformas têm várias vantagens para as empresas que as usam com objetivos claros de negócio.

Dark social: o tráfego “disfarçado” que inunda o seu site

O que é dark social? Quando está a analisar os indicadores de tráfego do seu site, na sua plataforma de web analytics preferida, certamente já se apercebeu da grande percentagem de tráfego considerada “direct”. Teoricamente, essa componente representa os utilizadores que chegam ao seu site escrevendo diretamente no seu browser o endereço de uma das páginas. No entanto, se tiver um blog, um site de e-commerce ou simplesmente páginas com endereços longos ou números, é difícil acreditar que os utilizadores escreveram esse endereço “à mão” no seu browser. Dark social refere-se ao tráfego cuja origem não é detetada pelas ferramentas de web analytics e, por isso, é classificado como “direct”. Esse tráfego é, na verdade, gerado pelas partilhas entre utilizadores…

Continuar a ler

Chatbots: a próxima fronteira

O que são chatbots e como funcionam Chatbots (também conhecidos como talkbots, chatterbots, Bots, chatterboxes, Artificial Conversational Entities) são programas de computador capazes de conduzir uma conversa de forma oral ou textual. Estes programas são concebidos para simular de forma convincente a forma como os seres humanos interagem em conversação, procurando passar o teste de Turing. O teste de Turing, desenvolvido por Alan Turing em 1950, afere a capacidade que um programa de computador tem de personificar um ser humano numa conversa escrita, de forma suficientemente convincente para que uma pessoa (“juiz”) seja incapaz de distinguir de forma confiável – com base apenas no conteúdo de conversação – entre o programa e um ser humano real. Este teste teve origem…

Continuar a ler

Sou mobile, logo existo.

É smombie? E nomofóbico? Provavelmente nem sabe o que isto é, mas é possível que seja ou conheça alguém que seja. Estas são palavras que surgiram recentemente associadas ao uso excessivo de dispositivos móveis. Neste artigo vamos explorar o domínio do “mobile” no mundo e porque faz sentido para as empresas pensarem todo o seu negócio mobile-first ou mesmo mobile-only. Começamos por esclarecer: “Smombie” surge da junção das palavras “smartphone” e “zombie” e significa isso mesmo: uma pessoa que anda pela rua tão “colada” ao seu smartphone que não repara em nada à sua volta – como um zombie. “Nomofobia” é o medo de estar sem telemóvel. O termo é uma abreviação de “no-mobile-phone phobia”. Embora ainda não seja uma fobia…

Continuar a ler

Experiências digitais em espaços físicos

A utilização de dispositivos móveis em larga escala permite que as organizações usem estes novos canais de comunicação para dar experiências mais personalizadas e mais imersivas aos seus utilizadores, utilizando vários recursos e técnicas de mobile marketing. 96% dos portugueses têm um dispositivo móvel, segundo o estudo “Mobile Shopping, Banking and Payment Survey” realizado pela Nielsen em outubro de 2016, e Portugal é um dos três países da União Europeia com maior penetração destes dispositivos. Para além de 70% já comprar online, mais de metade utilizam dispositivos móveis para procurar informação sobre um produto ou comparar preços quando estão na loja física. Mais de 40% usa mobile nas lojas para ter descontos, 30% para tornar a visita à loja mais…

Continuar a ler

Older posts